ONU contra desperdício alimentar


A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Programa Alimentar Mundial (PAM) lançaram um projecto conjunto para resolver o problema global do desperdício alimentar.


Dados estatísticos indicam que cerca de um terço dos alimentos produzidos para consumo humano (1,3 mil milhões de toneladas, o suficiente para alimentar dois mil milhões de pessoas), são perdidos ou desperdiçados.


As três agências especializadas da organização mundial vão trabalhar em conjunto num projecto orçado em 2,7 milhões dólares, financiado pela Agência Suíça para o Desenvolvimento e Cooperação Internacional, que visa reduzir as perdas de alimentos nos países em desenvolvimento, onde se estima que, durante a colheita, processamento, transporte e armazenamento dos produtos, ocorrem grandes desperdícios, devido a deficiências nas infra-estruturas, à falta de competência e tecnologia adequada.


O projecto de três anos vai concentrar-se na redução de perdas de cereais e leguminosas, como milho, arroz, feijão e feijão-frade, alimentos básicos que desempenham um papel importante na segurança alimentar mundial e que têm um grande impacto nos modos de vida de milhões de pequenos agricultores.


A iniciativa inclui a partilha de conhecimentos sobre as formas mais eficazes de reduzir as perdas pós-colheita e o apoio ao estabelecimento de políticas de redução de resíduos a nível nacional e regional. O projecto também procura identificar os pontos críticos de perdas nas cadeias de leguminosas e cereais em três países de África (Burkina Faso, República Democrática do Congo e Uganda), para testar soluções para problemas com a eficácia de colheita, variação nos níveis de humidade durante o armazenamento, ataques de ratos, aves e outras pragas. “Quando cerca de 840 milhões de pessoas passam fome todos os dias, temos a responsabilidade ética de garantir que o alimento produzido seja efectivamente consumido e não perdido ou desperdiçado”, disse o director da Divisão de Apoio a programas da FAO, Jong Jin Kim.


O responsável acrescentou que reduzir as perdas e desperdício de alimentos garante o acesso a grandes quantidades de comida adicional, reduzindo também os custos ambientais e alimentares à crescente população humana. Segundo a FAO, os 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos que são desperdiçados anualmente consomem 250 mil metros cúbicos de água e emitem 3,3 mil toneladas de gases de efeito de estufa para a atmosfera.


Estimativas indicam que ao todo as perdas de alimentos representam cerca de 30 por cento da produção anual de cereais, 40 a 50 por cento de tubérculos, frutas e legumes, 20 por cento das sementes oleaginosas, carne e produtos lácteos e 30 por cento da produção global de peixe.

Publicado originalmente no Jornal de Angola

Parceiros